Tudo sobre: Jornalismo, vale a pena?

0
0

E ai pessoal, beleza? Então, hoje eu vim falar de uma coisa que muita gente tem dúvida, sobre qual curso escolher na faculdade. Essa dúvida é cruel, e está presente em pelo menos 98% dos futuros universitários. Afinal está em jogo apenas a sua satisfação profissional, o seu futuro, a sua vida financeira, entre outros.

Nesse caso o que eu vou escrever hoje é sobre o curso de Jornalismo, vou procurar passar um pouco das minhas experiências nesses dois anos e meio de curso. Mas não leve isso totalmente a serio na sua decisão, afinal aqui vou expor minhas experiências de acordo com o que eu gosto ou não, isso se diferencia de acordo com perfil de cada um. Então leve isso apenas como uma base pra você decidir ou não.

Porque eu escolhi?

tumblr_mfz0c5iuto1rqowzvo1_500
Seu futuro, está batendo

Bom, eu curso Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, estou no Terceiro ano e estudo de noite, ah! e sou bolsista. Antes de escolher se era realmente jornalismo o que eu queria fazer estava em dúvida dentre outros três cursos, Publicidade e Propaganda, Rádio e TV e Arquitetura e Urbanismo (Sim e não me pergunte, nem eu sei o porque da terceira opção, haha), acabei decidindindo pelo seguinte motivo, primeiro, avaliei o mercado de comunicação nas três áreas (Não que uma esteja menos pior que a outra, mas existe sim uma diferença), descartei logo de inicio Radio e TV, pelo seguinte motivo.

No meu ponto de vista essa área é pouco mais restrita que as outras, pois Rádio e TV não são coisas muito grande no Brasil, e para entrar em uma das duas é quase sorte ou indicação, não que jornalismo seja isso, também, mas para rádio Tv a coisa é bem mais estreita. Tirando rádio ou TV também existem produtoras, algumas grandes outras pequenas, mas acabam entrando no mesmo fator do Rádio e TV. Então nesse caso, Rádio e TV corre mais risco do que as outras duas.

O meu segundo descarte foi Publicidade e Propaganda. Essa decisão foi mais pessoal, pois avaliei os meus gostos pessoais. Percebi que em Jornalismo toda a tarefa de talvez apresentar algo, escrever mais, trabalhar em grande mídias me traria mais satisfação profissional. E Arquitetura e Urbanismo pelo fato de eu simplesmente odiar Matemática, só levava em consideração a parte que eu modéstia parte, Desenho muito bem.

E porque eu escolhi Jornalismo? Bom, acima de tudo foi pensando no meu futuro profissional, do que eu poderei está fazendo daqui alguns anos, e as possibilidades de atuação é maior. Aqui vai um exemplo do que você pode fazer quando se forma em Jornalismo. Trabalhar como apresentador, trabalhar em produtoras, rádios, Tvs, Jornais, Assessoria de Imprensa, Cuidar da parte de comunicação de uma empresa, trabalhar em algumas empresas na área de marketing e de relacionamento comunicacional, e também já vi empresas contratando um profissional de Jornalismo para atuar na área de Relações Públicas.

Empresas grandes como Walmart, Tim, Mars, Basf, Microsoft, Nestlé, GE, Unilever, Vigor, Siemens, Mondelez, Aché, Roche, Wolkswagem, Sodexo, entre outras, costumam ter programa de estágio, então nesse caso o profissional lá dentro pode atuar em vários setores, claro, isso se restringe apenas grandes multinacionais e varia muito de empresa para empresa.

O Mercado

giphy

Levando em conta isso, acabei optando pelo o que estou cursando hoje. E no momento estou bastante satisfeito com a escolha. Porém o que acaba ferrando nessa área, (estou falando em cursos de comunicação no geral) o fato do mercado ser muito saturado. Ou seja, existem muito mais profissionais e pouca contratação. Portanto, se você está pensando em entrar nessa área não vá pensando que é só fazer os quatro anos de curso, se formar e pronto, você será o futuro William Bonner, (ah menos que você tenha contatos, o que não acontece na maioria das vezes).

Pelo fato desse da área de comunicação ser muito saturada, isso acaba fazendo com que as empresas exijam, mais e mais qualificação profissional. Por isso digo e repito, não são apenas quatro anos de curso. O mercado é bem concorrido, e sem desmerecer ninguém, existe muita gente qualificada por ai. Por isso, já vai fechando o seu cursinho de Inglês, participando de pequenos Workshops, já pensando na pós graduação nos futuros intercâmbios, o investimento precisa ser grande. Ah, esse profissional precisa trabalhar muito a timidez, caso tenha, gostar de ler, pois nunca vi um Jornalista que não goste de ler ou escrever.

E não venha me dizer, ai to sem tempo pra isso, pra aquilo, pois não sou eu que estou falando, o mercado é assim. Um profissional de comunicação, aliás não só de comunicação, outras áreas também, precisa pelo menos falar duas línguas, em essencial o inglês, para poder  estar na base. Até agora, dos vários processos seletivos que participei, todos exigiram inglês, pelo menos no nível intermediário. Então se você não consegue participar de tudo isso, faça pelo menos o inglês, existem até cursos grátis e baratos, você aprender é um mérito seu, é preciso muita determinação e dedicação. Não curse apenas por cursar. Faça por amor.

Como é o curso

tumblr_inline_nr7yfid2AR1qc22fu_500

Bom, nessa parte vou falar muito sobre como funciona o curso na Universidade São Judas Tadeu, que é a minha Universidade, afinal não posso falar de outras sem ao menos conhecer, não é mesmo?

Quando eu entrei o curso era anual, e ainda é, mas calma, só pra quem entrou a partir de 2014, como eu, pois agora quem ingressar no curso será semestral. Então quem já era anual, permaneceu anual. No meu ponto de vista, cursar semestral é melhor, pois a recuperação de DP é mais rápida, você só precisa de 6 meses, já no curso anual a recuperação de uma DP dura um ano. Então, pra quem entrou agora, está mais tranquilo.

Você pode até pensar, ah jornalismo, deve ser muito de boa. Não, não é, esse pensamento é ilusório, assim como outros cursos superior são exigentes, cursos de comunicação não escapa, se bobear pega DP ou repete de ano. As matérias são bem puxadas, os professores são muito exigentes, seja em trabalhos, seminários e apresentações. Até aquele professor que você acha que é o mais tranquilo, é também o mais exigente, e eles estão corretos, deve avaliar o estudante pela sua dedicação e força de aprender, pois quem bobeia na faculdade, leva chumbo (digo no sentido literal da coisa). Na minha Universidade, conheço pessoas que repetiram em uma matéria precisando 0,4 na média. Então, não vá com um pensamento de Ensino Médio, as coisas em Universidades são bem diferentes e bem mais puxadas.

As matérias são bem distintas, porém elas se interligam, vão existir momentos que um professor vai falar  de algo que outro professor já falou, mas em concepções diferentes, ai você começa a perceber que tudo faz sentido. Pode parecer que algumas matérias são desnecessárias, mas no fim elas tem um motivo por estarem lá, e você vai percebendo isso com o passar das aulas.

No primeiro ano, não existiram, pelo menos no meu curso, matérias práticas. Todas as matérias do primeiro ano são teóricas. As matérias práticas só começam a aparecer no segundo ano, e foram apenas duas. Matéria prática só começa a aparecer de verdade no terceiro ano, quando sete das nove matérias são práticas e no quarto ano, o foco é mais voltado para o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) no terceiro ano ele começa a dar as caras também, mais sofrer e chorar só no quarto ano mesmo.

Fora o curso também existem as temidas horas complementares, isso existe na maioria das Universidades que eu conheço e que meus amigos estudam. Na São Judas pelo menos, são 225 horas (eu acho) para se fazer de horas complementares. E se você não realizar essas horas complementares, você não se forma. Ela consiste em você fazer relatórios, (mas relatórios do que Rodrigo?), bom depende, existem professores que pedem relatórios de livros, outros de filmes baseados nas aulas, não foge muito disso. Mas também existem professores que pedem relatórios sobre exposições, parques, espaços culturais, etc. São relatórios simples, não é exigido nos mesmos moldes um trabalho, é apenas mostrar o seu ponto de vista. Dica, não deixa para fazer todas horas complementares no final do curso. Pois se o TCC já é uma dor de cabeça, imagina ter que cumprir horas complementares junto.

Dica, essas horas complementares é baseado no que você visitou, os professores usam uma lógica. Exemplo: Um filme costuma a durar na média de duas horas, então duas horas cumpridas. Visita há uma exposição, mais ou menos 6 horas. Um evento cultural, mais ou menos 12 horas, um show, mais ou menos 4 horas. Leitura de um livro, mais ou menos 48, depende do que se trata. Funciona assim, e isso é muito relativo de professor para professor.

Jornalismo, ou comunicação no Geral, vale a pena?

tumblr_nhh69nv7fb1s3dtkro1_500
O Futuro é logo ali…

Digo com toda certeza do mundo, vale sim, mas claro, DEDICAÇÃO acima de tudo, como eu disse anteriormente, não é apenas estudar quatro anos, pegar o certificado e pronto, é preciso ter bagagem cultural. Ah Rodrigo, Hoje em dia nem precisa mais de certificado para ser Jornalista. Isso só é baseado na concepção Judicial, na concepção do mercado profissional, é necessário sim um certificado, e muito. Se não fosse assim, as empresas não exigiram tanto dos profissionais, não é verdade?

Então avaliando tudo isso, considere os fatores mais importante na sua escolha, na sua realização profissional, no que você mais gosta que com certeza estará fazendo o que será mais feliz, afinal, isso acaba sendo uma decisão pra vida. Desejo a você que chegou aqui muito sucesso, e comente ai em baixo, como que foi sua decisão.

Não esqueça de seguir a página do Blog no Facebook (CLIQUE AQUI), para ficar por dentro de tudo que rola aqui. Um abraço e tudo de bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *